Artigos

Normalmente o consultório do Pediatra é o local onde os pais despejam todas as suas inseguranças e dúvidas acerca da saúde e do comportamento de seus filhos. Por isso, a importância de se desvendar questões que envolvem a adoção de crianças.
 

O Manual de Pediatria nasceu da necessidade de padronização de conduta dos vários serviços de puericultura da Faculdade de Medicina do ABC e não tem outra pretenção a não ser um instrumento rápido de consulta para pediatras e outros profissionais que atuam em consultórios ou ambulatórios de pediatria. As informações nele contidas seguem as determinações da Organização Mundial de Saúde, Ministério de Saúde e Sociedade de Pediatria. O volume foi escrito por professores da Faculdade de Medicina com a participação de profissionais de outras áreas de conhecimento, sendo publicado com apoio da Nestlé Nutrition em conformidade com a lei 11.265 de 3 de janeiro de 2006.

O texto a seguir faz parte desse manual.

 

Desculpe, Dona Rosa. Eu tentei. Ele também tentou. Acho que ele tentou mais do que eu, me ajudou, mas não deu, não vai dar. Eu não quero ser a mãe dele. Não é que ele tenha feito alguma coisa, ele não fez. Aprontou uma confusão na escola e outra na casa da minha mãe, mas não foi isso. Eu não nasci pra ser mãe. Não dele nem de ninguém.

Veja alguns dos melhores comerciais, nacionais e estrangeiros, que envolvem adoção.




O que vai acontecer no Dia Nacional da Adoção

Clique abaixo para saber o que aconteceu na semana da Adoção de 2015. 


Uma Adoção Consciente, Danças Para Celebrar O Dia Nacional Da Adoção, Vij/Df Celebra O Dia Nacional Da Adoção No Parque Da Cidade, Vitória Dia internacional da Família e Dia Nacional da Adoção, Goiania Dia Nacional Da Adoção – Caminhada, Uberaba - Corrida Rustica Beneficente Da Adoção, Encontro de Família Adotiva, Recife - Tenda e Caminhada, VI Encontro Anual Adoção Consciente, Comemoraração do Dia 25 de Maio DIA NACIONAL DA ADOÇÃO, Grupo De Rio Das Ostras - Promove Semana De Adoção, 6ª Caminhada Da Adoção, Tjrj Vai Promover Comemoração Ao Dia Nacional Da Adoção, Caminhada pelo Direito de Viver em Família, Chapecó - O ciclo da Adoção em Chapecó/SC, Café com Adoção, Xanxerê Palestra: Aspectos Jurídicos e Dúvidas sobre adoção, Iv Sinmpósio Do Dia Nacional Da Adoção - “Adoção, Amor Incondicional?", Piquenique Em Comemoração Ao Dia Nacional Da Adoção.

 

(Publicado por Associação do Ministério Público de Minas Gerais em novembro de 2012)

Cansados de esperar na fila do fórum, que leva até três anos e meio para encontrar um bebê do sexo feminino da cor branca, conforme o EM mostrou ontem, os casais recorrem a uma solução que provoca muitos debates: a adoção consentida. Em vez de buscar o filho nos abrigos, já destituído da família original, pegam o bebê diretamente com os pais biológicos, que desejam entregar o filho à adoção. Dessa maneira, a transação não é ilegal, mas precisa ser feita diante da equipe do Juizado da Infância e da Juventude e não pode envolver pagamento em dinheiro.

Essas são as novidades no Portal em barild e 2015. 

Pai e Mãe De Verdade20150421210806 pai e mae

Este é um livro sobre atitude adotiva e sobre pais e mães de verdade. Seu pressuposto é o de que só nos tornamos pais e mães quando adotamos nossos filhos, tenham eles nascido ou não de nossos ventres. A atitude adotiva é, então, o único caminho para a constituição da filiação de verdade. Verdade que se constitui nos laços da alma, sem os quais famílias tornam-se apenas aglomerados de gente.

Periodicamente aparecem no FaleConosco do Portal estudantes pedindo auxílio para fazer trabalhos de conclusão de curso, teses e outros documentos acadêmicos. Ofereço o pouco auxílio que tenho.
Sempre fico pensando no desperdício de esforço desses estudantes para fazer teses que servirão apenas para produzir notas de um curso e serão lidas apenas por seus professores. Em vez disso, esses estudos poderiam ser algo maior, poderiam dar projeção a seus autores e instituições, poderiam ser úteis a sociedade.
Seguindo esse pensamento, elaborei uma pequena lista de sugestões de projetos que seriam muito úteis, caso alguém os faça. É bem possível que alguns já tenham sido feitos, neste caso avisem, que publicaremos no Portal.

Qual é o endereço da Vara da Infância?

Todo processo de adoção começa na Vara da Infância, ou deveria.

É possível obter informações em muitos lugares, como grupos de apoio, livros, etc. Mas a adoção deveria começar na Vara da Infância. Não deveria começar em redes sociais, hospitais ou escritórios de advogados que possuem “contatos com mães”, sem falar em outros intermediários ainda mais estranhos.

Sempre que a adoção, e a entrega da criança, sai do caminho legal, os riscos aumentam muito para as famílias que adotam ou entregam a criança. Mas quem corre os maiores riscos sempre é a criança. Por isso precisamos colocar a Vara da Infância em todos os processos de adoção e entrega de crianças. Para isso começamos com uma informação simples: o endereço da vara da Infância.

Duas batidas na porta anunciam o visitante. D Rosa abre e encontra um homem, passados dos trinta, alto, magro com uma expressão tensa, ansiosa.
- Dona Rosa? Dona Rosa Figueiredo?
- Sim, mas não sou parente do general - disse rindo.
- ???
- É uma brincadeira. Sim, sou eu, e o senhor é?
- Manoel, Manoel Andrade. Ah, senhora lembra de mim?

Dona Rosa, Professora Estela e Das Dores, a vizinha, estão sentadas na mesa olhando desenhos que Estela trouxe da escola. A tarefa das crianças era desenhar as mães. O exercício tem várias utilidades, de testar o desenvolvimento motor até ver como as crianças enxergam suas mães.
- Veja este - mostra Estela
- Que horror! A mãe dele tem dentes enormes. Muitos dentes. - se espantam Rosa e Das Dores - E o que é isso nas costas?
- Uma barbatana.
- Por queeee?
- Ela é um tubarão.

Não existe um momento certo como regra. Toda ocasião pode ser considerada um momento possível para conversar com a criança sobre sua história e a história da família que a adotou. Muitos pais adotivos falam sobre adoção na frente da criança, mas não falam com ela sobre sua adoção. 

nascereassimtb02Ok, parece clichê dizer que um filho muda a vida gente. Mas é uma verdade que não se pode negar. Mas a partir de quando isso acontece? No meu caso, quando comecei a desejar ser mãe.

A adoção foi o caminho natural que seguimos quando nós descobrimos que queríamos mais um filho do que uma barriga, e portanto não importava de onde ele viesse. O importante era que chegasse para os nossos braços. Cumprimos os trâmites legais preenchendo os papéis da Vara de Infância e entrando na fila do Cadastro Nacional de Adoção. Começava aí uma outra espera que nós chamamos, carinhosamente, de “gravidez da adoção”.

A reflexão tem como ponto de partida a leitura do livro Tempo de Espera – como vivem as crianças, o casal e os trabalhadores sociais à espera da adoção, de Antonio D’Andrea.

O autor nos leva a um caminhar reflexivo tendo como interlocutora a pequena Martina, de apenas 6 anos de idade. Inquieta e cheia de vida, Martina nos remete a lugares antes visitados sem muita atenção... e nos mostra toda a ansiedade, alegria e temor que eles podem nos causar.

tarzanTarzan chegou a ser chamado de senhor dos macacos. Mas ele não nasceu lá, e demorou a ser aceito naquela comunidade, por ser diferente e adotado. Foi sua determinação e o amor, adotivo, de sua mãe, Kala, que mudaram seu destino.

Um tipo de ocorrência que tem se transformado em lugar comum, mas que continua gerando incontida comoção popular, é o abandono de recém-nascidos pelo país afora. As razões e as circunstâncias são as mais variadas, sofridas e impactantes possíveis. 

- Foi naquele momento que eu soube que ela era minha filha. Eu estava na escola, vendo a apresentação do dia dos pais, e ela acenou pra mim. De repente eu estava chorando.
Essa declaração foi a primeira do grupo. O tema, segundo a coordenadora, era o “momento perfeito”, aquele em que a mãe ou o pai sentiu que o filho adotado era realmente seu filho.

O Cadastro Nacional de Adoção deve ser alimentado com os perfis das crianças já aptas para adoção, ou seja, crianças já destituídas do poder familiar, e dos habilitados à adotar.
Assim, crianças e adolescentes que não tenham ainda sido destituídos não constarão do CNA como aptas à adoção.