Diversos

Carlos Alberto com as filhas adotadas Vanessa e Valesca

 
Há sete anos o bancário aposentado Carlos Alberto Marques de Oliveira, de 63 anos, e seu companheiro, o professor André Luiz de Souza, de 42, adotaram duas meninas negras, na época com 5 e 7 anos, e com cinco irmãos. O casal faz parte de um grupo que, remando contra a maré, vem aos poucos ajudando a mudar o quadro da adoção no Brasil, onde a preferência é por bebês brancos, saudáveis, sem deficiência e sem irmãos, fazendo emperrar uma fila onde há quase seis vezes mais candidatos a pais do que crianças à espera de adoção — são 35 mil casais para 6 mil pretendentes a uma nova família. Esta semana, o grupo foi engrossado pelos atores Bruno Gagliasso e Giovana Ewbank.

O casal famoso, pais de Titi, de 3 anos, resolveu encurtar o caminho adotando a menina na África, onde o processo durou apenas um ano. No caso das meninas Vanessa e Valesca, hoje com 12 e 14 anos, respectivamente, a adoção foi obtida no mesmo tempo. Mas Carlos reconhece que seu caso foi uma exceção.

 

Essa é a revista Em Discussão, produzida pelo Senado Federal. emdiscussao

 

Ela mostra a visão do congresso sobre o tema da adoção. 


04/09/2015 16:30

Serviço Família Acolhedora oferece às crianças e aos adolescentes a experiência de convivência familiar e é uma alternativa a abrigos e casas lares


Brasília, 4 – “Nós somos guardiões dessas crianças”. É assim que Raniere Lima Dias, 46 anos, define o trabalho da família acolhedora. Há 17 anos, o empresário de Campinas (SP) e a esposa Silvia Helena Ferreira Dias se inscreveram no serviço, que tem por finalidade atender crianças e adolescentes que estão em medida protetiva.

Em 1998, quando acolheram a primeira criança, a família tinha apenas um filho. Passados os anos, a família cresceu. Hoje são três filhos e dez crianças acolhidas já passaram pela vida da família Dias. “A gente tinha a ideia de adotar, mas vimos na proposta do acolhimento uma maneira mais efetiva de ajudar um maior número crianças. E isso nos motivou a entrar no programa.”

Rogério Capela/PrefCampinas

É cada vez mais comum noticias sobre indenizações a crianças adotadas que foram devolvidas aos abrigos. O que começou há poucos anos como uma ação inovadora, já se mostra frequente.

Qualquer família pode ser obrigada a pagar indenização se desistir de adotar? Quando isso acontece?
Este artigo é para as famílias que estão considerando a adoção, para explicar o que está acontecendo nesses casos. 

Este texto fala sobre como uma Vara da Infância procura uma família para uma criança. Mas antes vamos esclarecer dois enganos frequentes: que o objetivo da Vara da Infância é achar crianças para as famílias e que todas as crianças no abrigo estão disponíveis para adoção.
O primeiro é sobre o objetivo desse trabalho.

Veja alguns dos melhores comerciais, nacionais e estrangeiros, que envolvem adoção.




O que vai acontecer no Dia Nacional da Adoção

Clique abaixo para saber o que aconteceu na semana da Adoção de 2015. 


Uma Adoção Consciente, Danças Para Celebrar O Dia Nacional Da Adoção, Vij/Df Celebra O Dia Nacional Da Adoção No Parque Da Cidade, Vitória Dia internacional da Família e Dia Nacional da Adoção, Goiania Dia Nacional Da Adoção – Caminhada, Uberaba - Corrida Rustica Beneficente Da Adoção, Encontro de Família Adotiva, Recife - Tenda e Caminhada, VI Encontro Anual Adoção Consciente, Comemoraração do Dia 25 de Maio DIA NACIONAL DA ADOÇÃO, Grupo De Rio Das Ostras - Promove Semana De Adoção, 6ª Caminhada Da Adoção, Tjrj Vai Promover Comemoração Ao Dia Nacional Da Adoção, Caminhada pelo Direito de Viver em Família, Chapecó - O ciclo da Adoção em Chapecó/SC, Café com Adoção, Xanxerê Palestra: Aspectos Jurídicos e Dúvidas sobre adoção, Iv Sinmpósio Do Dia Nacional Da Adoção - “Adoção, Amor Incondicional?", Piquenique Em Comemoração Ao Dia Nacional Da Adoção.

 

(Publicado por Associação do Ministério Público de Minas Gerais em novembro de 2012)

Cansados de esperar na fila do fórum, que leva até três anos e meio para encontrar um bebê do sexo feminino da cor branca, conforme o EM mostrou ontem, os casais recorrem a uma solução que provoca muitos debates: a adoção consentida. Em vez de buscar o filho nos abrigos, já destituído da família original, pegam o bebê diretamente com os pais biológicos, que desejam entregar o filho à adoção. Dessa maneira, a transação não é ilegal, mas precisa ser feita diante da equipe do Juizado da Infância e da Juventude e não pode envolver pagamento em dinheiro.

Essas são as novidades no Portal em barild e 2015. 

Pai e Mãe De Verdade20150421210806 pai e mae

Este é um livro sobre atitude adotiva e sobre pais e mães de verdade. Seu pressuposto é o de que só nos tornamos pais e mães quando adotamos nossos filhos, tenham eles nascido ou não de nossos ventres. A atitude adotiva é, então, o único caminho para a constituição da filiação de verdade. Verdade que se constitui nos laços da alma, sem os quais famílias tornam-se apenas aglomerados de gente.

Periodicamente aparecem no FaleConosco do Portal estudantes pedindo auxílio para fazer trabalhos de conclusão de curso, teses e outros documentos acadêmicos. Ofereço o pouco auxílio que tenho.
Sempre fico pensando no desperdício de esforço desses estudantes para fazer teses que servirão apenas para produzir notas de um curso e serão lidas apenas por seus professores. Em vez disso, esses estudos poderiam ser algo maior, poderiam dar projeção a seus autores e instituições, poderiam ser úteis a sociedade.
Seguindo esse pensamento, elaborei uma pequena lista de sugestões de projetos que seriam muito úteis, caso alguém os faça. É bem possível que alguns já tenham sido feitos, neste caso avisem, que publicaremos no Portal.

Qual é o endereço da Vara da Infância?

Todo processo de adoção começa na Vara da Infância, ou deveria.

É possível obter informações em muitos lugares, como grupos de apoio, livros, etc. Mas a adoção deveria começar na Vara da Infância. Não deveria começar em redes sociais, hospitais ou escritórios de advogados que possuem “contatos com mães”, sem falar em outros intermediários ainda mais estranhos.

Sempre que a adoção, e a entrega da criança, sai do caminho legal, os riscos aumentam muito para as famílias que adotam ou entregam a criança. Mas quem corre os maiores riscos sempre é a criança. Por isso precisamos colocar a Vara da Infância em todos os processos de adoção e entrega de crianças. Para isso começamos com uma informação simples: o endereço da vara da Infância.

Um tipo de ocorrência que tem se transformado em lugar comum, mas que continua gerando incontida comoção popular, é o abandono de recém-nascidos pelo país afora. As razões e as circunstâncias são as mais variadas, sofridas e impactantes possíveis.